16 Estilos de liderança: qual é o mais eficaz?

Que tipo de chefe é? De facto, considera-se um chefe ou um líder? A liderança está lentamente a ganhar força, destronando o chefe tradicional, que se concentra apenas nos resultados empresariais, como Jack Zenger e Joseph Folkman da Harvard Business Review explicam:

“Mais de três quartos dos líderes (78%) classificaram a sua capacidade de gerar resultados superiores à sua capacidade de inspirar e motivar os outros.”

Por essa razão, existe atualmente uma mudança dentro das organizações empresariais, onde os líderes estão a ser favorecidos em relação aos patrões. Neste artigo mostramos-lhe até 16 estilos de liderança e quais são os mais utilizados.

Mas qual é exatamente a diferença entre um líder e um chefe?

Diferença entre um líder e um chefe

Um chefe pode ser definido como uma autoridade imposta que usa o seu poder para comandar e ordenar os seus subordinados, enquanto um líder é aquele que dirige e motiva uma equipa de pessoas sem impor as suas próprias ideias. Como disse Russell H. Ewing:

“Um chefe gera medo, um líder gera confiança”. Um chefe corrige as falhas, um líder corrige os erros. Um chefe sabe tudo, um líder faz perguntas. Um chefe torna o trabalho pesado, um líder torna-o interessante”.

Portanto, poderíamos dizer que o chefe tem uma visão mais tradicional, baseada nas ações de comando e de ordenação dos seus subordinados. Por outro lado, um líder cria e comunica as estratégias da empresa, motivando e dirigindo as equipas de trabalho.

O que é a liderança

Tendo clarificado a diferença, como devemos definir exatamente liderança? O dicionário infopédia define-o como “o papel de líder; liderança; Guia”, enquanto Dicionário informal define-o como “a capacidade de mobilizar outras pessoas e fazê-las caminhar para um determinado objetivo”.

Por conseguinte, a liderança procura obter, a partir da transformação, motivação e influência em relação aos empregados, o máximo desempenho, alcançando os objetivos estabelecidos.

Embora as características para exercer uma boa liderança empresarial devam ser semelhantes em qualquer ambiente de trabalho, a forma como a liderança é utilizada nas empresas nem sempre é a mesma, uma vez que fatores como o tipo de produção, o ambiente e os objetivos, entre outros, podem influenciar a forma como uma organização é liderada. Portanto, a mensagem deste artigo não é de escolher um tipo de liderança e aderir a ele, mas sim de combinar diferentes estilos e obter o melhor deles.

Estilos de liderança empresarial

1. Liderança transformacional

O líder é capaz de transformar e/ou mudar os empregados de uma forma positiva e valiosa. O seu principal objetivo é motivar os empregados a cumprir os objetivos empresariais da forma mais eficiente possível.

Por outras palavras, os líderes transformacionais encorajam, inspiram e motivam os empregados a inovar e a criar mudanças que ajudarão a crescer e a moldar o sucesso futuro da empresa.

Dwight D. Eisenhower, líder militar e político americano, explicou a base da liderança transformacional, através da qual se pode transformar os empregados para que acreditem nos objetivos da empresa e os queiram atingir.

“A liderança é a arte de conseguir que alguém faça algo que se quer porque a pessoa o quer fazer.”

2. Liderança autocrática

Concentra-se em permitir aos líderes tomarem as decisões e assumirem o controlo do trabalho, tendo eles plena autoridade e responsabilidade.

O líder é aquele que toma as decisões, sem deixar os empregados participar.

3. Liderança transacional

Este tipo de liderança é baseado no intercâmbio entre o líder e os empregados. Por outras palavras, os empregados são compensados com incentivos cada vez que atingem o seu objetivo ou executam o seu trabalho corretamente.

Embora os incentivos sejam geralmente positivos (recompensas), há também empresas que utilizam incentivos negativos (punições), a fim de dar um aviso àqueles que não atingiram os níveis de produtividade esperados.

Neste caso, o líder transacional tem um papel mais passivo e está mais preocupado em encorajar o interesse e o desejo de melhoria dos empregados.

4. Liderança democrática

Como o nome sugere, este estilo de liderança centra-se na participação de todos. O líder deve encorajar os trabalhadores a participar nas opiniões e estratégias a utilizar na organização, embora seja ele quem toma a decisão final.

Por conseguinte, este tipo de liderança procura capacitar o trabalhador, sendo uma forma de motivar os trabalhadores a desempenharem as suas tarefas de forma eficiente.

“As boas ideias não têm hierarquia”


Mary Barra

O CEO da General Motors assegura que é importante integrar toda a equipa na tomada de decisões, uma vez que cada empregado tem diferentes funções, perspetivas e ideias que são muito valiosas para a empresa.

5. Liderança laissez-faire

Laissez-faire, que em espanhol significa “deixar fazer”, consiste em deixar cada empregado fazer o seu trabalho, uma vez que ninguém sabe melhor do que ele o que fazer e como o fazer.

Por conseguinte, o líder não dará ordens ou instruções aos empregados, ou seja, tentará intervir o menos possível, apenas quando estritamente necessário.

6. Liderança natural

Este tipo de liderança nasce por si só num grupo de trabalho. O líder não é reconhecido como tal com um título, mas representa esse “papel” até à perfeição. Este tipo de líder não é normalmente questionado; as suas recomendações e diretrizes são tomadas como algo a ser cumprido. Portanto, o líder não dará ordens ou instruções aos empregados, ou seja, tentará intervir o menos possível, apenas quando estritamente necessário.

Dizemos que este estilo de liderança é criado naturalmente, porque nasce da atitude diária da pessoa e da sua forma de trabalhar. São pessoas que exercem um tipo de liderança que é altamente apreciada e bem aceite pelo grupo.

Esta forma de liderar está intimamente relacionada com a tomada de iniciativa. Os líderes não são escolhidos por alguém superior, mas eles colocam-se no comando graças ao seu carácter.

7. Liderança carismática

Este é um dos estilos de liderança mais comuns nas organizações atuais. O líder é capaz de empatizar com os membros da organização de modo a tirar o máximo partido deles.

Este tipo de liderança trabalha muito mais sobre os sentimentos e sensações positivas dentro do grupo. O líder deve ser carismático, genuinamente empatizante com os empregados.

O líder tem de ter uma personalidade forte, mas não imperativa, mas antes construtiva. Tudo gira em torno do líder, pelo que também pode ter um lado negativo, pois se o líder abandonar a empresa, a estrutura pode vacilar, podendo mesmo desaparecer.

8. Liderança burocrática

O líder concentra-se unicamente no cumprimento estrito das regras da organização, para além do que é melhor para a equipa ou do que cada trabalhador necessita para atingir os objetivos estabelecidos.

Este estilo de liderança implica uma rigidez absoluta no modelo de gestão, onde a política da empresa é o único guia do líder.

Normalmente esta forma de liderança não está ligada a uma única pessoa, mas é encontrada em autoridades e gabinetes onde nenhum superior toma decisões, uma vez que todos são regidos por um conjunto de leis e regulamentos.

A liderança burocrática funciona bem se for utilizada até certo ponto, especialmente em decisões económicas ou quando, por exemplo, são utilizados materiais perigosos e é necessário ter o máximo controlo sobre o que é feito. Mas há que ter cuidado para não cair no autoritarismo excessivo e na falta de empatia por não se desviar das regras.

9. Liderança “para as pessoas”

Como o próprio nome indica, este estilo de liderança centra-se fundamentalmente nas pessoas, no que se pode obter delas, onde podem ir e até onde podem crescer na empresa com o que podem contribuir.

Este tipo de líder sabe como identificar as personalidades dos membros da sua equipa e tenta adaptar as tarefas de acordo com as suas necessidades, fazendo os trabalhadores crescerem profissionalmente.

Os gestores devem ser orientados para a organização, apoio e desenvolvimento de equipas.

“Os líderes notáveis esforçam-se por aumentar a autoestima do seu pessoal. Se as pessoas acreditam em si próprias, é espantoso o que se pode alcançar”. Sam Walton, fundador do Walmart e do Sam’s Club

10. Liderança orientada para as tarefas

Neste caso, o líder irá promover o oposto da liderança anterior; não dá prioridade às pessoas ou fazê-las crescer, mas o mais importante é o que tem de ser feito, a tarefa que tem de ser executada, e da forma mais rápida, económica e eficiente possível.

Pode ser vantajoso quando se trata de executar eficazmente e cumprir objetivos, mas também pode ser desmotivante para os membros da equipa se o líder colocar sistematicamente o cumprimento da tarefa à frente do bem-estar do povo.

11. Liderança “da curva”

Este estilo de liderança baseia-se principalmente na “curva da felicidade”: se tudo funcionar bem, a equipa estiver motivada, a produtividade for elevada e o ambiente for satisfatório, a felicidade virá para o trabalho.

O líder deve construir de forma positiva tudo o que pode afetar o grupo, o trabalho e o desenvolvimento do trabalho, para que a curva da felicidade apareça.

Estes líderes trabalham para o sucesso da equipa e são altamente qualificados pelos funcionários

12. Liderança situacional

Este estilo de liderança pode ser considerado o mais flexível. O líder conhece a maturidade, carácter e forma de trabalhar da sua equipa, bem como as necessidades da sua empresa. Com base nisso, aplica o estilo de liderança mais apropriado, mudando-o quando a situação o exige e dirigindo-se a cada empregado com um estilo diferente.

Dependendo da situação, o líder agirá de uma forma ou de outra, adaptando-se aos problemas ou acontecimentos imprevistos que surjam e agindo da forma mais eficiente para obter os benefícios desejados.

13. Liderança visionária

Neste tipo de liderança, os líderes envolvem os empregados, reconhecem que os métodos, passos e processos são alcançados com e através das pessoas. Para tal, tentam fazer com que os seus empregados compreendam por que razão certas coisas são feitas e qual é o objetivo. Em suma, os líderes partilham a visão de para onde vão com a sua equipa.

Com este método de liderança, o objetivo é que todos os empregados compreendam o caminho, os objetivos que estão a ser perseguidos e porquê, gerando assim mais motivação quando se trata de realizar o seu trabalho

14. Liderança paternalista

Este tipo de liderança é de natureza unidirecional; apenas uma pessoa é responsável, embora de forma amigável e útil. Hoje em dia, este estilo de liderança raramente é encontrado, embora ainda possa ser visto em algumas pequenas empresas familiares.

Baseia-se na construção de um vínculo de confiança com os empregados. O chamado “patriarca” é o líder e preocupa-se com o bem-estar de todos os empregados. Ele ou ela oferece conselhos sobre como fazer o seu trabalho corretamente, fazendo-os compreender que se não cumprirem os seus deveres, isto tem más repercussões para eles e para a empresa.

O líder é normalmente mais velho, mais sábio e muito mais experiente, por isso age como se os seus trabalhadores fossem seus filhos, pensando que eles não podem agir autonomamente e que devem ser guiados em todos os momentos.

É geralmente motivante e confortável para trabalhadores com pouca experiência, uma vez que este tipo de liderança os faz sentir-se apoiados e valorizados, mas também tem uma grande desvantagem, que é o facto de estagnar a maturidade da equipa, encorajando os trabalhadores a não terem os seus próprios critérios e a serem totalmente dependentes do líder.

15. Liderança estratégica

A liderança estratégica refere-se ao potencial de um líder para expressar uma visão estratégica para a organização,ou uma parte dela, e para motivar e persuadir outros a aderirem a essa visão.

Esta forma de liderança também pode ser definida como a utilização da estratégia na gestão dos empregado.

16. Liderança com métodos de coaching

Embora muitas pessoas não considerem o coaching como um tipo de liderança, é um dos mais importantes tipos de liderança. A liderança do coaching envolve o ensino e a supervisão de seguidores.

Basicamente, este método baseia-se em ajudar os empregados a melhorar as suas competências.Um líder que usa este estilo de liderança motiva, inspira e encoraja a sua equipa.

Quais são os estilos de liderança mais frequentemente utilizados?

Lembre-se que, idealmente, os líderes não devem usar apenas um tipo de liderança, mas sim usar uma mistura e implementar as características de cada um, dependendo das circunstâncias. Ainda assim, existem cinco métodos de liderança que se destacam em Portugal.

Segundo o portal Ekonomista: liderança transformacional, liderança transformacional, liderança ágil, liderança disruptiva e liderança do laissez-faire. Também, de acordo com um estudo publicado no European Research Studies Journal, os trabalhadores esperam liberdade de decisão, orientações não controladas, ou instruções precisas ao executar uma tarefa. Os trabalhadores querem principalmente liberdade de decisão, especialmente quando os seus líderes implementam uma liderança dependente da situação. Por outro lado, os empregados esperam instruções sobre o desempenho das tarefas, mas sem controlo contínuo sobre o seu trabalho. Neste caso, a liderança autocrática gera esta expectativa na maior medida possível. Os empregados não esperam instruções exatas sobre como executar as tarefas e controlo contínuo sobre o trabalho, independentemente do tipo de liderança.

Este foi o gráfico de dita correlação:

Lembre-se que ao decidir qual o estilo de liderança a utilizar, muito dependerá do tipo de empresa, dos objetivos comerciais, dos empregados que tem e da forma como pretende lidar com eles.

Albert Einstein disse uma vez que “o exemplo não é a melhor maneira de ensinar, é a única maneira”, e esta frase adquire um significado especial quando falamos da relação entre um líder e a sua equipa.

Portanto, recomendamos-lhe que seja o melhor exemplo para os seus empregados, que seja inovador e visionário, que detete oportunidades de melhoria, que crie um ambiente que estimule a criatividade e produtividade dos trabalhadores. Isto permitir-vos-á, a vós e à vossa equipa, alcançar quaisquer objetivos que estabeleçam para vós próprios.

¿Te resultó interesante este artículo? ¡Compártelo con tu red!